Desincentivo aos Transportes Públicos - 3

Para além dos desincentivos gerais à utilização dos transportes públicos, na Margem Sul do Tejo os preços são muito mais altos do que na Margem Norte, nomeadamente os transportes ferroviários, como se pode ver na tabela (publicada no jornal Notícias do Seixal, de 13.Jul.2009).
Uma das razões para a enorme disparidade é porque a CP é uma empresa pública, enquanto que a Fertagus é privada. Ainda assim, como a privada Fertagus não tem os lucros que gostaria, apesar dos preços muito mais altos, recebeu indemnizações compensatórias do Estado nos últimos cinco anos no valor de quarenta e cinco milhões de euros, ou seja mais de mil euros por hora (mais precisamente: 45.062.183,00€, ou 24.691,61€ por dia, ou 1.028,82€ por hora). É claro que tudo isto é legal e está previsto nos contratos entre a Fertagus e o Estado (mais precisamente os governos PS e PSD).
Quanto ao desincentivo ao transporte público vejamos: ir e vir do Pragal a Entrecampos pela Fertagus custa 3,30€, num total de 21,8km, partindo do princípio que não é preciso apanhar outros transportes para as estações. O gasóleo no Jumbo de Almada custa esta semana 0,899€. Com estes valores o carro teria que gastar 16,84 litros aos 100 para ficar ao mesmo preço do bilhete Fertagus. Como um carro normal gasta menos de metade disso, mesmo com portagem, com o preço de um bilhete Fertagus dá para ir duas vezes de carro a Lisboa, mesmo só uma pessoa.
19.Jul.2009.

2 comments:

André said...

desculpa lá descordar outra vez contigo, mas tu estas a induzir muita gente em erro. o teu erro é que estas a comparar preços em duas regiões da mesma area urbana (que deveriam ter preços iguais cinsuante os km percorridosna mesma empresa ferroviaria) mas servidas por empresas completamente diferentes, olhando pela pespectiva de um conselho servido por uma delas. o que está mal é englobares isso a toda a margem sul. é obvio que esse jornal que pertence a esse conselho tente mostrar o seu ponto de vista, ainda que seija de uma maneira pouco séria, mas tu, como blogger ISENTO devias puxar pela insenção. é verdade que a fertagus tem preços e horários (diga-se de passagem) absurdos comparando com os mesmos na margem norte servida pela CP, mas se, de uma forma mais séria, comparar-mos a mesma empresa na margem sul e na margem norte (CP) os preços são relativamente identicos e os horários bem adaptados a cada realidade. por exemplo: do Barreiro a Setubal o custo do bilhente simples é de 1,75E (exactamente o mesmo que Lisboa - Rossio a Sintra e Cais do Sodré a Cascais), menos de metade que Entrecampos a Setubal, e se quiseres completar a marcha até as Praias do Sado pagas mais 10 centimos dá um total de 1,85 para o percurso completo (menos 1,05E que Lisboa a Azambuja, o mesmo que Lisboa a Castanheira)
se mudasses o teu texto para: a Fertagus practica preços mais altos que a CP e prejudica Conselhos no mesmo districto. ficaria perfeito!

Francisco said...

André, percebo a ideia, mas eu vi o serviço público ferroviário como um todo. De facto, que vive em grande parte da Margem Sul do Tejo paga mais do que quem vive na Margem Norte.